Publicado em Cultura, História, Mundo

19 de Agosto, dia Nacional do Historiador

No dia 19 de Agosto comemora-se o Dia Nacional do Historiador. O Historiador (tomo por “Historiador” a generalização de homens e mulheres) é o profissional que vasculha o passado, estuda-o em diversas análises e se encarrega de transformar o presente por meio das interpretações. Ou seja, por meio da preservação e compreensão do passado, ensinamos a todas as gerações sobre preservar nossas raízes e evoluir culturalmente baseado no que as sociedades produziram ao longo dos anos.

Neste post, trago 5 curiosidades sobre fatos em História que influenciaram os rumos dessa ciência, e que você provavelmente não sabia! Vamos lá?

Quem é o primeiro Historiador?

Ah, Heródoto! Considerado como o Pai da História, Heródoto deixou relatos muito importantes sobre as sociedades da época em que viveu. Mas ele não foi, de fato, o primeiro historiador.

Nascido por volta de 1281 a.C. (cerca de 800 anos antes de Heródoto), Khaemuaset foi o khaemuasetquarto filho do Faraó Ramsés II, e é a primeira pessoa de que se tem notícia, que se dedicou a pesquisar, registrar e conservar as memórias do passado restaurando templos, túmulos e inscrições. Khaemuaset foi um sacerdote do Deus Ptah e ficou conhecido, já em sua época, como sendo um príncipe que se dedicava a preservar a história do país. Assim, ele é considerado o primeiro Historiador/Arqueólogo/Egiptólogo de que se tem registro. Por causa de seus esforços, muitos monumentos (incluindo alguns na região das Pirâmides) estão preservados até hoje e não caíram no esquecimento.

Por que ele é importante? Khaemuaset é o primeiro historiador e egiptólogo de quem se tem registros. Ele atuou em conservação, restauração e pesquisa. Graças a ele, muitos monumentos foram conservados resistindo até os dias de hoje. Ele foi o primeiro a compreender que se deveria preservar o passado e manter uma memória de identidade viva.

Heródoto, o Pai da História

Heródoto de Halicarnasso é, provavelmente, o mais famoso historiador do mundo – e da História. Ele deixou importantes obras sobre as sociedades que visitou em sua época, obras que ainda hoje são usadas como fontes de pesquisa para referências de sociedades antigas.

Nascido em 785 a.C., em Halicarnasso, hoje Turquia, Heródoto durante a sua vida se herodotodedicou a deixar relatos de guerras, estilos de vida e de suas viagens. Seus relatos foram reunidos em uma obra chamada História. Heródoto foi o primeiro a entender que o passado poderia ser considerado um problema filosófico e que poderia ter influências no comportamento humano e, assim, passou a se dedicar estudá-lo. Por isso, é chamado de o Pai da História.

O problema enfrentado pelas obras de Heródoto é que, apesar de extremamente ricas em detalhes, elas não são consideradas imparciais e confiáveis. Heródoto carrega muito da sua visão de mundo para seus relatos, porém, ele busca registrar o que vê e o que ouve (por exemplo, sobre a construção das pirâmides foi um dos que propagou a “fofoca” de que Quéops prostituía a filha para financiar a construção), infelizmente, sem muita averiguação da veracidade da informação.

Por que ele é importante? Heródoto foi o primeiro pensador a compreender que o estudo do passado poderia influenciar nas atitudes do presente. Registrando suas viagens e impressões, ele deixou um legado que até hoje nos ajuda a compreender sobre povos da antiguidade, e em suas obras estão relatos que se perderam no esquecimento pela falta da prática da história oral.

Nasce a profissão de Historiador

Heródoto foi o “pai da História, mas é Tucídides quem se caracteriza profissionalmente como o primeiro Historiador. Diferente de Heródoto, Tucídides (nascido por volta de 465 a.C., em Atenas) tenta ao máximo narrar os fatos observados com imparcialidade e tenta explicá-los.

Ao longo dos séculos, muitos se dedicaram a pesquisar o passado, e muitos se dedicaram a comprar objetos de outras culturas (contrabando de peças era muito popular e comum) para constituir coleções pessoais. Os primeiros museus foram criados a partir do século XVII e reuniam obras doadas, roubadas e compradas de países visitados por aventureiros e pesquisadores.

Mesmo com ciências como a arqueologia e a egiptologia em alta durante os séculos XVIII e XIX, a profissão de Historiador foi regulamentada como “Historiografia” apenas no final do século XIX.

Por que a profissão de Historiador é importante? Historiadores são os responsáveis por descobrir o passado, assim, preservando as memórias das culturas. Por meio das análises feitas das descobertas e pesquisas, conseguimos compreender mais da nossa identidade enquanto povos, e podemos usar essas análises para melhorar nosso presente e nosso futuro, afinal, o historiador é um profissional versátil que pode se especializar em muitas outras áreas.

Description de l’Égypte

Napoleão Bonaparte organizou a mais famosa expedição arqueológica ao Egito, durante Description de l'Egypto século XVIII, num esforço enorme para entender o país. Em sua expedição, haviam profissionais desenhistas, botânicos, arquitetos, historiadores, linguístas, engenheiros, matemáticos, filósofos… tudo para entender a Terra dos Faraós. Dessa expedição, surgiu um livro chamado Description de l’Egypté, que é uma enciclopédia ilustrada sobre todo o Egito e sua história.

Esta enciclopédia foi publicada pela primeira vez em 1809 e é composta por 10 volumes.

Por que essa obra é importante? Descrição do Egito (tradução literal do francês) foi a primeira grande expedição antropológica e arqueológica de que se tem notícia. Por meio da expedição de Napoleão muito da arquitetura e da arte egípcia foi preservada graças à reprodução de artistas. Essa expedição foi a primeira união entre diversas áreas da ciência para o estudo de uma cultura, sob diferentes perspectivas. Também técnicas de conservação e catalogação começaram a ser desenvolvidas.

19 de Agosto, Dia Nacional do Historiador

No dia 19 de agosto, no Brasil, comemora-se o Dia Nacional do Historiador. Essa data foi joaquim nabucoinstituída em 2009, em homenagem a Joaquim Nabuco.

Joaquim Nabuco nasceu justamente em 19 de agosto e além de ter sido um importante abolicionista, compôs a 27ª cadeira da Academia Brasileira de Letras. Foi, também, advogado, político, diplomata, jurista, orador, jornalista e historiador.

Por que essa data é tão importante? O profissional de História merece ter um reconhecimento próprio e justo, afinal, é o profissional que se dedica a aprender com o passado para evoluir o presente e garantir o sucesso do futuro. O Historiador e o Professor de História são responsáveis por formar opiniões críticas, imparciais e factuais sobre as culturas. A valorização da profissão é importante para o desenvolvimento da própria sociedade, no que diz respeito à conservação de memória, formação de opinião, culturalidade e até desenvolvimento pessoal.

Para saber um pouco mais sobre as curiosidades acima, recomendo os links abaixo:

Khaemuaset (todos os links estão em inglês)

Heródoto

Profissão Historiador

Surgimento dos museus

A expedição de Napoleão ao Egito

Sobre Joaquim Nabuco

Por Helena Salgado

*Créditos de imagens: Google